Helena Taipo restituída à liberdade

A anterior Ministra do Trabalho e ex-diplomata de Moçambique, Helena Taipo, foi hoje entregue a oportunidade enquanto se antecipava às irregularidades de que é acusada.

A chegada do ex-ministro do Trabalho se deve a um habaes corpus, elaborado por procuradores em dezembro do ano passado. Ela não estava vestindo capulana obviamente, mas de branco para talvez representar a harmonia que ela sente, após dois anos, respirando o comportamento da oportunidade. Eram cerca das 15h00 de terça-feira quando Helena Taipo, anterior Ministra do Trabalho, anterior enviada moçambicana a Angola e posteriormente Governadora de Sofala, partia pela entrada da Penitenciária de Maputo, onde está encerrada desde abril de 2019, encarregada de chefiar um plano de reencaminhamento de 113 milhões de meticais dos cofres do Instituto Nacional de Segurança Social.

Obtida por parentes e advogados, Helena Taipo foi, sem dar uma reunião, nem dar uma espiada nas Câmaras Municipais, dirigir-se a um veículo branco e trouxe uma sacola que continha seus bens. Os procuradores do anterior pastor moçambicano em Angola, também, não quiseram dirigir-se a “O País”, em qualquer caso, por telefone, esclareceram que a entrega de Helena Taipo não se deu por meio de fiança. “Solicitamos em dezembro e só hoje foi a liminar no Superior Tribunal de Justiça. As alegações, que acrescentamos, foram reconhecidas pelo tribunal e, prontamente, foi solicitada a alta. No momento, ela está sans e não está morando respectivamente “, esclareceu Nércio Bomba, um dos assessores jurídicos de Helena Taipo. É nestes termos que Helena Taipo se senta para a preliminar em oportunidade. “Não podemos antecipar o que o futuro, por esta situação, pode direcionar, tendo em vista o fato de que há uma decisão iminente no Supremo Tribunal Federal trazida por uma ampla gama de vários litigantes para o passado. reclame, ainda não temos a menor ideia de qual é a escolha que dela pode resultar, porém, inicialmente, ela vai antecipar a preliminar na oportunidade “, sublinhou Nércio Bomba.

Deixe uma resposta