Reclusas da Cadeia Feminina de Ndlavela usadas como prostitutas

 

Os guardas da Cadeia Feminina de Ndlavela, na província de Maputo, forçam como prisioneiras do estabelecimento penitenciário a prostituírem-se. As reclusas são tiradas da cadeia, ao dia ou mesmo à noite, para lugares, como uma pensão a 500 metros do centro de reclusão.Os resultados são de uma pesquisa feita pelo Centro de Integridade Pública (CIP) que, durante seis meses de investigação, conseguiu, através da negociação com os guardas prisionais, encontro com seis pombinhas ou coelhinhas, como são tratadas, a troco de pagamentos de valores monetários aos guardas.

Por três ocasiões, os membros do CIP solicitadosam, disfarçados de clientes, mulheres para “manter relações sexuais” e, com os guardas, foi negociado o dia, a hora, o local, o tipo de mulher (tendo em conta a qualidade do produto ) ea duração das aulas, sendo que os preços cobrados variam de três a 30 mil meticais, o dinheiro partilhado entre os guardas envolvidos no esquema.

Deixe uma resposta